sábado, 13 de julho de 2013

• Tu...

Tu me fizeste ver que embora amizades não sejam tal qual amores, ainda assim podem ajudar-nos, e muito, a suplantar as dores dessas paixões ardentes que se extinguem em cinzas que demoram as calendas a arrefecer.

Tu tens um curioso efeito em mim, meu anjo... G2S6DTUJUCGS

Eu depois de te escrever uma frase qualquer, dou por mim a pensar: "Eu não sei se ela me vai compreender completamente... mas esta tirada agora saiu-me com estilo, caramba!…".

Tu fazes-me escolher para te dizer aquelas palavras mais verdadeiras e, ao mesmo tempo, brilhantes. Por ti, sinto-me impulsionado para ir subindo por essa escadaria onde Cyrano de Bergerac espera no cimo.

E amarmo-nos não poderemos… mas nascemos ambos destinados a que as nossas existências se cruzassem. Em momentos em que algumas melancólicas trevas prometam ameaçar pairar a um ou ao outro. Para nos unirmos em espírito e as afastarmos.

Os amanhãs deste modo sorrirão para nós. Sentimo-lo. 

Mas ainda assim, tal como eu, tu demandas ás estrelas, quando a sós te encontras com estas, se sabem boas novas do que o criador deste universo destinará para essa partícula celeste que tu és.

2 comentários:

Poppy disse...

As amizades são amores... Um tipo de amor muito especial =)

But, that is just my opinion :)

Giuseppe Pietrini disse...

O amor aprisiona-nos enquanto a amizade liberta-nos.

Quando amamos alguém desejamos ter o exclusivo desse amor. Quando somos amigos de alguém não nos importamos se não tivermos esse exclusivo.

Assim, o amor a um amigo é o mais desinteressado sentimento que podemos ter por outro alguém.

Faz bem ao nosso coração ser teu amigo, Poppy.

Um jinho. ;-)
Giuseppe