domingo, 9 de novembro de 2014

• Procurei-te

Procurei-te. E sigo te procurando em todas as mulheres. Porque não estou contigo. Ainda. Mas quanto mais te procurava a ti, mais me convencia que quem eu buscava era a mim mesmo. E foi em ti que me encontrei, finalmente.

Tu não serás talvez aquela com quem eu irei lado a lado até aos fins do meus dias. Mas quando os nossos caminhos se cruzaram, um pensamento me assaltou. Que me sussurrou assim:

- Pronto! Isto é um sinal de que quando eu morrer já não devo ir para o inferno. Eu mereço melhor.

2 comentários:

Clara Sol disse...

Amigo GIUSEPPE PIETRINI.
Simplesmente envolvente este poema
Sempre merecemos coisa melhor, mas enquanto não chega, tiramos casquinha de quem nos perturba mesmo por que é apenas paixão e paixão é fogo que arde, e depois vira fumaça, fumaça não deixa rastros..
Mas de forma alguma iras para o inferno nem pense tal absurdo.
Agradeço por ter compartilhado.
Desejando um final de noite deste domingo bem agradável
Abraços sempre.
ClaraSol

Giuseppe Pietrini disse...

Amiga ClaraSol,

Obrigado por suas gentis palavras.

Curioso que vc falou de tirar casquinha... Escrevi este post com a mente numa destinatária deste discurso meu. Porque justamente ela me sugeriu de eu tirar casquinha quando na minha vida de saltimbanco eu sentisse saudade de quem eu mais queria abraçar e não pudesse por estar longe.

Eu sou um pecador, como tantos que pululam por este mundo. E não terei tanto temor assim do inferno. Mas como dizia Florbela Espanca, cheira e sabe a minha boca a flores quando digo a palavra Céu.

Beijim! ;-)
Giuseppe