domingo, 19 de junho de 2011

• I hate the way you speak truth

Há verdades que nos ferem com a dor de punhais cravados no peito.

E ferem-nos mais ainda quando nos parecem muito insofismáveis. Como esta, que bem poderia ter saído dos lábios pintados desse refinadíssimo sofista do captain Jack Sparrow.

Ouço bastas vezes o comum dos mortais proclamar que odeia a falsidade e a mentira. Pobres mentes pequenas, as vossas que isto dizeis... eu cá convivo cada vez pior é com a suposta verdade.

Eu aprendi que o ser humano mais puro que possamos imaginar sempre mente.

E mente porque começamos por mentir para nós próprios. Quando estamos apaixonados. O Amor é um habitat onde a verdade não mirra. Só a ilusão.

Adoro hoje em dia uma canção da Rihanna, em que esta querida fala candidamente que "I love the way you lie".

No Amor só há mentira. O Amor não é um território seguro. Não há pés bem assentes na terra no Amor. E quem quer amar tem de saber existir nessa imponderabilidade.

Odiar a mentira é fecharmo-nos ao Amor. É ter medo de anar. Porque se é segurança que desejamos sentir, então não é no Amor que deveremos passear.

No Amor é preciso saber estar com o falso. Saber ler as suas translúcidas entrelinhas. Nada nos vai ser dado no Amor como absolutamente garantido. Somos nós que temos de descobrir tudo. Nenhuma verdade nos vai ser dada de bandeja.

Eu já não acreditarei nunca mais em quem um dia diga me amar. Porque quem eventualmente soltar tal impropério, poderá antes de tudo estar a mentir para si próprio. Porque para si quer acreditar estar a ser capaz de amar. E só circunstancialmente eu possa ser o objecto desse alegado sentimento. Como outro qualquer o poderia ser também. Só que o acaso fará com que seja eu que estarei mais à mão no momento.

É isso. Não creio mais em quem me ame. 

Mas acredito piamente em quem diz gostar de mim. Mesmo que o diga que muito.

If you want safety, choose friendship, not love.

4 comentários:

Miss Joana Shag well disse...

http://www.youtube.com/watch?v=CQBi6Nt-ytM :);)

Giuseppe Pietrini disse...

Joana, os homens são todos mais novos do que tu. Mesmo. Aí estou eu, também, a fazer prova daquilo que tu sabes.

Meus deuses... o que foi que eu fiz para merecer uma amizade como a tua, duma pureza tão cristalina, dum quilate tão elevado?...

Obrigado pela luz...

Chinezzinha disse...

Giuseppe,
no Amor não pode existir mentira ou não é Amor.
é assim que eu penso.
beijinhos
Ana

Giuseppe Pietrini disse...

Chinezzinha, e pensas bem...
...mas isso é num mundo ideal. In the real world things are quite different. A perfeição não existe.
Beijim! ;-)
JP